Há algum tempo estamos acompanhando esse processo de retorno ao seu país de Benazir Bhutto, a ex-primeira ministra paquistanesa que estava em exílio auto-imposto.

Então, no dia de hoje, nesta quinta-feira, Bhutto colocou seus pés de volta no Paqustão, para ser mais preciso, em Karachi, vindo de vôo direto de Dubai e foi acompanhada por cerca de 100 membros do PPP, Partido do Povo Paquistanês, o segundo maior partido do país.

Temos aqui de ressaltar que sua volta foi cercada de segurança, cerca de 10,000 policiais fizeram sua proteção devido à ameaças da Al-Qaeda de fazer ataques suicidas em sua recepção. E, mesmo, assim, conseguiram. Cerca de 100 pessoas foram mortas, outras 300 feridas e dois ataques.

Bhutto chorou ao voltar para o Paquistão, e do aeroporto foi direto para o Mausoléu de Mohammad Ali Jinnah, fundador do país. A razão de sua volta é justamente uma aliança com o, agora eleito, presidente Pervez Musharraf pois, como conversamos em matéria anterior, não haveria 'governabilidade' sem isso.