Essa foi a pergunta feita pelo diretor Weijun Chen ao fazer o documentário "Por favor vote em mim". A resposta só pode ser vista nesse excelente documentário que faz parte de um projeto maior intitulado "Porquê democracia", que propõe a discussão global desse assunto.

Tive a sorte de ver esse documentário que mostra as eleições diretas para "Monitor da Classe" em uma escola primária da cidade de Wuhan ontem, no canal Futura e é realmente interessante.

Assim como em seu sistema político, onde os líderes são apontados e escolhidos, a escolha dos monitores de classe por lá também é assim. Ou seja, os professores escolhem diretamente quem será o monitor naquele ano letivo. Nesse documentário o diretor Weijun Chen propôs algo diferente: e se os próprios alunos escolhessem?

Dessa maneira vai se filmando o dia a dia dos 3 candidatos na escola e com a família e uma dúvida bate na cabeça de todos: o que é democracia?

Em um exercício muito interessante uma pergunta proposta por esse projeto (que inclui documentários e curtas de outros países, como Japão, Índia e Paquistão) fica na cabeça: a democracia é algo inerente ao ser humano?

O trailer do filme segue abaixo (mas aconselho entrar no site deles também, e esse filme pode ser visto integralmente no Youtube, com legendas em inglês), me chamou a atenção para um aspecto interessante do filme: quem ganhou as eleições foi o monitor que já havia sido eleito outras vezes, só que pelos professores. (Desculpem se estraguei o final...). Isso quer dizer algo sobre a sociedade chinesa?




E só para acabar...
Com uma população tão grande a China pode se dar o "luxo" de fazer diversas experiências. Das 'zonas econômicas especiais' como Shenzhen é uma que deu certo. "Um país, dois sistemas", dá certo?

Enfim, há diversas experiências por lá que podem servir como exemplo para o futuro do país, incluindo um sistema mais democrático. Apesar de todos os líderes do país serem eleitos indiretamente é possível ver algumas experiências mais democráticas principalmente no interior do país que, vale lembrar, é a parte mais pobre e menos desenvolvida do país.

Jovens cientistas políticos chineses dizem que a democracia ocidental é como um restaurante com diversos garçons mas que oferece somente um tipo de comida e que o sistema chinês é um restaurante com um garçom só, mas que oferece diversos pratos. Faz algum sentido ou é só uma maneira de proteger a classe política?

Que a China ainda está longe de um sistema perto do chamado "democrático" é um fato, mas não posso deixar de pensar que é um país que pode nos surpreender, também nesse campo de valores tão "ocidentais".

Comments (3)

On 17 de julho de 2009 16:56 , Tami disse...

Nossa muito interessante!
Vou ver ^^

Acho que por toda a cultura de anos e anos na China, mesmo que seu sistema mudasse para democrático as coisas não seriam tão diferentes.
Eles não saberiam lidar com isso assim como eu acho que nós brasileiros não sabemos por isso tantos políticos corruptos são eleitos.

 
On 17 de julho de 2009 17:10 , Luiz Barretto disse...

É realmente algo delicado, de qualquer maneira acredito os chineses tem nas mãos a oportunidade de fazer algo diferente, espero que consigam!

 
On 21 de julho de 2009 09:24 , Matheus disse...

Acompanhei o documentario tambem. Morei na China por 4 anos, retornei no final do ano passado e estou me programando para ir novamente em outubro. Me indiguinei com as atitudes dos pais e professores pois autorizaram e promoveram a compra descarada de votos. Mas isso é atitude de pessoas que simplesmente nao conhecem o conceito de democracia. Além disso aliam conceitos da cultura chinesa como a agressividade, a discussão pública e humilhação física e moral do adversário como fatores positivos do "bom líder". Foi triste, torci muito pelo Cheng Cheng, mas infelizmente nem sempre se vence. Essa é a maior lição que ele pode tirar dessa história toda.