Procurar fontes alternativas é uma tendência mundial e também uma maneira de economizar e colaborar com o meio-ambiente.

Na semana passada o Governo da Tailândia aprovou um plano que visa o desenvolvimento e a promoção do biodiesel no mercado interno como uma forma de diminuir a dependência do petróleo.

O objetivo é produzir 8,5 milhões de litros de biocombustível a partir do óleo de palma, para serem parte de 10% do biodiesel no país. Atualmente se consome 50 milhões de litros de diesel diariamente por lá.

Para alcançar essa marca até 2012 a Tailândia pretende ampliar os 320 mil hectares de plantio de óleo de palma atual para 1,6 milhão.

Uma iniciativa que pode ajudar o país a poluir menos e gerar mais empregos sem dúvida. Interessante, mas que não pode ser a única aposta de qualquer país para diminuir a poluição.

Comments (2)

On 14 de setembro de 2009 14:25 , Adriana disse...

Antes de mais, bom blogue! :D
Pois, o problema destes biocombustíveis é o subsequente impacto humanitário e ecológico em causa, devido à desflorestação de florestas tropicais que irão dar lugar às plantações de palma. Além disso, já se tem comprovado que a palma não é assim tão vantajosa. Fico deveras irritada pelo facto da UE estar a patrocinar e impulsionar isto, iludindo, principalmente, os europeus a um consumo mais “verde” através dos biocombustíveis... E ainda querem pôr o selo ecológico em cima disto! Francamente…
Cumprimentos

 
On 14 de setembro de 2009 14:39 , Luiz Barretto disse...

Olá Adriana,
agradeço tua visita, seja bem-vinda!
Me parece que "apostar" em biocombustível somente é um erro, pelas razões citadas por vc, por ser de qualquer maneira poluente e por haver outras tecnologias até mais vantajosas que essa. Enfim, as mudanças infelizmente acontecem de maneira muito devagar.