Você deve saber muita coisa sobre essa lenda do rock’n’roll. Nasceu em 1935, seu irmão gêmeo morreu no parto, ele não. Na escola não era nenhum aluno brilhante e muito cedo começou a trabalhar de caminhoneiro. Diz a lenda que ao gravar uma música para presentear sua mãe seu talento foi descoberto. Você o conhece, pois ele mudou a cultura pop em todo o planeta. O que talvez não seja de seu conhecimento é que Elvis Aaron Presley, o Rei do Rock’n’Roll, era praticante de karatê. E era faixa preta. É justamente sobre sua paixão pela milenar arte marcial japonesa de Elvis que vou falar um pouco agora.

Encontro com as artes marciais
A carreira de músico do jovem Elvis Presley começou aos 21 anos de idade, em 1956. Acelerando o blues ele conseguiu popularizar o que viria ser batizado de rock’n’roll, dizia-a se que uma das chaves de seu sucesso era o fato de ser um garoto branco com voz de negro. Até 1958 o garoto viveu o auge do que é chamado a ‘primeira parte’ de sua carreira quando, em março desse ano, se alistou no Exército Americano para dar exemplo para a juventude do país. Raul Seixas chegou a classificar esse evento histórico como a “morte” do verdadeiro rock’n’roll. Mas foi o início de sua paixão pelas artes marciais orientais.

Começo de uma paixão
Ele ficou alocado com o exército em Fort Hood, no Texas e foi lá que Elvis teve seu primeiro contato com as artes marciais ao ver uma demonstração de judô ou jiu-jitsu (há contradições nessa parte).

Porém, Elvis começa seu treinamento em artes marciais muito provavelmente somente em 1959, enquanto estava na Alemanha. Seu primeiro instrutor chamava-se Juergen Seydal, que seguia o estillo shotokan. Nesse seu começo de treinamento é sabido que ele treinou com um mestre vietnamita de nome desconhecido e foi ainda na Alemanha que começou a praticar karatê. Em sua volta aos EUA, em 1960, Elvis já era faixa preta na modalidade. Em apenas um ano é possível tornar-se faixa preta de karatê ou isso acontecer por ele ser “o cara”? Realmente não sei, é apenas assim que a história é contada.


Houve reflexo em seu trabalho?
Os efeitos dessa sua nova paixão já podem ser vistos em seu álbum gospel de novembro de 1960 chamado "His Hand In Mine". Nele Elvis está sentado em seu piano vestindo um broche com uma figura de faixa preta, mas que fica quase invisível na foto.

As situações em que podemos ver um pouco dessa influência são diversas. Por exemplo, enquanto filmava o filme "Saudades de um Pracinha" (original “G.I. Blues”) em 1960, ele fazia muitas ‘exibições’ de quebrar blocos e tijolos para a equipe de filmagem. Em um soco errado sua mão inchou e, apesar de toda maquiagem e esforço para disfarçar, o inchaço era aparente. Mesmo assim ele gravou cenas e até tirou fotos promocionais para o filme.

Além de "Saudades de um Pracinha", nos filmes "Coração Rebelde" (original "Wild In The Country"), "Feitiço Havaiano" (original "Blue Hawaii"), "Em cada sonho um amor" (original "Follow That Dream"), "Talhado para campeão" (original "Kid Galahad"), "Carossel de Emoções" (original "Roustabout"), "Feriado no Harém" (original "Harum Scarum"), e "Canções e Confusões" (original "Double Trouble”) podem ser vistos algumas influências em suas cenas de luta. Corre a lenda que durante as filmagens de "Coração Rebelde" a atriz Millie Perkins até quebrou seu pulso ao lhe dar um tapa. Elvis era tão bom a esse ponto?

Ajudando a espalhar o karatê
Assim como ele fez ao espalhar a cultura do rock'n'roll, até então negra nos EUA, Elvis também ajudou a espalhar o karatê no ocidente em uma época que poucos não-asiáticos praticavam artes marciais.

Uma das maneiras mais efetivas dele fazer isso foi, como dito e sabido, incorporar alguns movimentos em seus filmes e performances ao vivo. Porém ele também foi além ao financiar academias de artes marciais como o Instituto de Karate de Tennesse onde ele também ia treinar suas seqüências de kenpo.

Em 1974 Elvis também financiou a tour européia do time de karate dos EUA e começou um projeto para um filme que mostraria os treinamentos e competições da modalidade. Foi batizado de "The New Gladiators” (“Os Novos Gladiadores”, em tradução livre) e Elvis estava financiando, estrelando e narrando o filme.

Aqui vocês podem conferir algumas cenas desse filme e o depoimento de algumas pessoas que não só participaram do projeto mas também acompanharam essa paixão de Elvis, além de ver algumas cenas dele praticando.





Como a história nos conta o filme acabou não sendo realizado mas uma seqüência de Elvis praticando alguns exercícios de chi em setembro de 74 pode ser visto no filme de 1981 intitulado "Isso é Elvis" (original "This Is Elvis"). Algumas fotos dessa sessão também foram publicadas na revista “People” em 1975 para marcar seu 40º aniversário.

Elvis ainda começou outro projeto com Ed Parker
, um dos pioneiros do karatê americano, amigo e seu parceiro de treinos chamado de "Billy Easter". Nesse filme Elvis faria o papel de um ex-agente da CIA que tem sua escola de karatê quando seu amigo é assassinado por traficantes e ele vai procurar vingá-lo. Parece que Elvis também queria muito fazer esse filme pois não seria musical e teria a oportunidade mudar seu foco um pouco. Seus filmes sempre foram classificados como "chatos e com mesmo enredo", e olha que são 31!

Além do karatê
Uma curiosidade é que durante a década de 70 Elvis também começou a procurar outras práticas orientais além das artes marciais. Ele chegou a praticar meditação, yoga e até estudar algumas religiões então chamadas de “ocultismo”. Claro, isso nunca chegou ao grande público para não causar estranheza em seu público e afetar sua imagem de "bom garoto".

Artes marciais e seu casamento
Logo depois de se casarem, Elvis e Priscilla foram ao Havaí para descansar e lá conheceram Mike Stone que estava participando de uma competição de artes marciais organizada por Ed Parker. Anos mais tarde Stone estava trabalhando como guarda-costas de Phil Spector e voltou a encontrar Elvis em Las Vegas, depois de um show. Nesse noite eles seguiram para a casa de Elvis e lá ficaram conversando sobre karatê.

Priscilla já vinha fazendo algumas aulas de kenpo com Ed Parker, e chegou a treinar na escola de Chuck Norris também. Foi lá que começou a estudar e se envolver com Mike Stone e a relação deixou de ser somente de estudante-aluno. Em outubro de 1973 o casal se separou. Obviamente que a separação do casal não pode ser atribuída somente à isso, colocando Elvis como vítima. Mas fica como curiosidade.

Legado
O legado musical de Elvis é impossível de ser quantificado mas, em relação ao karatê não há dúvidas que ele ajudou a disseminar sua prática no ocidente. Uma vez entre amigos Elvis chegou inclusive a afirmar que, se pudesse, largaria o mundo do show bussiness para se dedicar integralmente à prática e ensinamento do karatê. Sua paixão o acompanhou até sua morte, em 16 de agosto de 1977.

Comments (7)

On 23 de novembro de 2010 16:17 , Unknown disse...

eu acho que é mais um picareta, fingindo de faixa preta de karate
com um ano de treino dá pra aprender 02 katas no maximo.
esse pessoal acha que karate é brincadeira faixa preta qualquer um pode comprar e colocar na cintura o importante é saber o peso dela
oss

 
On 23 de novembro de 2010 16:17 , Unknown disse...

eu acho que é mais um picareta, fingindo de faixa preta de karate
com um ano de treino dá pra aprender 02 katas no maximo.
esse pessoal acha que karate é brincadeira faixa preta qualquer um pode comprar e colocar na cintura o importante é saber o peso dela
oss

 
On 23 de março de 2011 19:24 , niko disse...

Muitas vezes não é por tempo mais sim por competência !
no japão chega-se a faixa preta em um ano treinando de segunda a sexta feira .
para chegar a ser um shodan (faixa preta) é preciso dedicação e não tempo determinado por federações .
mesmo sendo faixa preta o karate é um ensino para toda vida
oss.

 
On 3 de junho de 2011 15:36 , Anônimo disse...

concordo com a pessoa que diz que é uma questão de competência e não de tempo,o karate é para seguir a vida toda !
vamos deixar de olhar para os outros porque até então o Elvis já faleceu há muito tempo , e vamos olhar para o nosso caminho que seguimos em frente,oss.

 
On 3 de abril de 2013 11:20 , Anônimo disse...

Já faz algum tempo que estou pensando em praticar Karate e sabendo que Elvis além de um grande artista na música era também adepto desta arte marcial.

 
On 20 de setembro de 2013 20:39 , Fernando disse...

Mesmo sendo por determinação, um ano é muito pouco para ser faixa preta, existe muitas etapas no amadurecimento do praticante, que não se adquiri em um ano, muito menos dois. O próprio Funakoshi sensei, levou anos estudando a fundo o karate e com total dedicaçao.

 
On 4 de abril de 2014 20:45 , Ricardo urkg disse...

Bacana saber que este grande artista treinou karate.Artista da música e da verdadeira arte marcial.